National Geographic destaca trabalho de investigador da UAlg

National Geographic destaca trabalho de investigador da UAlg

 


 

 

 

 

A edição de julho da revista National Geographic destaca o trabalho de Leonardo Mata, investigador português do Centro de Ciências do Mar (CCMAR), na Universidade do Algarve, pela investigação sobre o cultivo em larga escala de uma macroalga vermelha capaz de reduzir a emissão de gases com efeito de estufa para a ​​​​​​​atmosfera, originados pelo setor pecuário, e com isso abrandar o aquecimento global.​​​​​​​

O aquecimento global e a emissão de gases com efeito de estufa por parte do setor pecuário (maioritariamente metano), representam uma preocupação para a sociedade, e o Homem enfrenta de facto um grande desafio para travar a situação.

A comunidade científica procura respostas para esta problemática e despertou em 2014 para uma eventual solução, que residia numa macroalga vermelha (Asparagopsis taxiformis) com um potencial ímpar para reduzir significativamente (cerca de 90%) os níveis de metano libertados por animais ruminantes (como vacas e ovelhas).

A mesma alga vermelha que Leonardo Mata estuda desde o seu doutoramento (2004-2008) na Universidade do Algarve. O investigador português desenvolveu com enorme sucesso um sistema experimental de cultivo desta macroalga em tanques, integrado com uma piscicultura situada em Olhão.

Foi na Universidade de James Cook, na Austrália, que Leonardo Mata “teve um papel fundamental para estabelecer os sistemas que mais tarde serviram de base à investigação que colocou a espécie na boca do mundo”, refere a revista.

Daí até ao presente, o investigador criou uma empresa spin-off do CCMAR (Gopsis, Lda) para prestar consultoria no cultivo de macroalgas, estabeleceu uma parceria com uma empresa de aquacultura de peixes sediada nos Estados Unidos para produzir a macroalga a escala comercial no mar do Vietname. 

É nos laboratórios do CCMAR, na Universidade do Algarve, que Leonardo Mata mantém uma libraria de várias estirpes de algas vermelhas recolhidas em Portugal e noutras partes do mundo.

É também neste ambiente, em condições controladas, que a sua equipa de investigação trabalha para controlar o cultivo das diferentes fases do ciclo de vida da espécie e otimização das taxas de crescimento, e do conteúdo dos compostos naturais responsáveis pela redução das emissões de metano do gado bovino. Os resultados da investigação no CCMAR dão a direção dos esforços do cultivo à escala comercial no Vietnam.

E foi nestes laboratórios, repletos de coloridas algas em tons vermelhos, que o jornalista da National Geographic, Pepe Brix, observou e fotografou o que pode vir a ser a solução para um problema global.

O artigo completo pode ser lido aqui.

Share Partilhar